domingo, 3 de janeiro de 2010

Mancha solar aparece e marca o início do ciclo solar 24

O ciclo solar é também chamado de ciclo de Schwabe e tem duração aproximada de 11 anos. Neste período o Sol passa por momentos alternados de alta e baixa atividade eletromagnética, conhecidos por mínimos e máximos solares. Desde que as observações começaram a ser feitas, já foram contados 23 ciclos solares até 2007.
Durante os últimos meses, os cientistas especializados no estudo do Sol não desgrudaram os olhos um só insta
nte dos instrumentos que monitoram nossa estrela. O objetivo da vigília era a detecção dessa mancha solar muito especial, de polaridade magnética invertida, que como dissemos, deveria surgir nas latitudes mais altas.

No último dia 11 de dezembro as atenções passaram a ser redobradas, quando o telescópio espacial Soho detectou, no limbo do disco solar, uma nova anomalia com as características esperadas. E não poderia ser diferente. Se os cientistas estivessem certos, aquele pequeno sinal visto através dos instrumentos poderia significar o início do ciclo solar 24.


Ejeção de massa coronal
Um novo ciclo não significa que nas próximas 24 horas o Sol já apresentará grande atividade elétrica. É importante lembrar que acabamos de sair do mínimo solar e que o crescimento da atividade é lento. Segundo as previsões, o máximo pico dessa nova temporada deverá ocorrer em 2011 e 2012. Até lá, gradualmente teremos um aumento sistemático da quantidade de machas e tempestades solares, com ocasionais ejeções de massa coronal, enormes bolhas de gases ionizados com até 10 bilhões de toneladas, que são lançadas ao espaço a velocidades que superam a marca de um milhão de quilômetros por hora.

Se você se interessa pela atividade solar e quer ver as imagens atualizadas da estrela ou acompanhar as previsões das tempestades, vá em "Boletim Solar".

Nenhum comentário:

Postar um comentário